A maioria dos presbitérios da Igreja da Escócia é a favor de permitir que ministros da Palavra e Sacramento e diáconos se casem com casais do mesmo sexo, se assim o desejarem.

Um relatório para a Assembleia Geral de 2022 mostra que 29 deles aprovaram a “Solenização da Abertura do Casamento do Mesmo Sexo” com 12 votos contra.

Os presbitérios foram convidados a dar suas opiniões sobre o projeto de legislação, com salvaguardas de acordo com a Seção 9 (1A) da Lei do Casamento Escocês, após uma decisão da Assembléia Geral no ano passado.

A votação foi realizada após a questão ter sido encaminhada sob a Lei de Barreiras.

Os comissários da reunião anual híbrida em Edimburgo no próximo mês agora serão solicitados a considerar a aprovação da abertura para alterar uma lei da Igreja permanente para permitir que os Ministros da Palavra e Sacramento e os diáconos se inscrevam para se tornarem celebrantes autorizados.

Um relatório à Assembléia Geral deixa claro que nenhuma pessoa seria obrigada a participar da solenização de, ou estar envolvida nos arranjos para um casamento entre pessoas do mesmo sexo, a menos que expressamente desejasse fazê-lo.

De acordo com os termos da legislação proposta, um indivíduo teria que solicitar ao escritório do secretário principal para se tornar um celebrante e um pedido seria então feito ao secretário geral da Escócia em seu nome.

O secretário principal manteria um registro atualizado dos celebrantes e eles seriam pessoalmente responsáveis ​​por renovar seu status a cada três anos.

Só o ministro da paróquia que se tenha tornado celebrante poderá utilizar um edifício da igreja a seu cargo para a celebração de casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Eles seriam capazes de conceder consentimento a outros celebrantes para usar o prédio para esse fim, no entanto.

Espera-se que todos os celebrantes levem em conta a “paz, unidade e necessidades pastorais da congregação e de qualquer paróquia ou outro agrupamento do qual faça parte” ao considerar a realização de uma cerimônia de casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Com base em que os comissários votam a favor da “Solenização da Abertura do Casamento do Mesmo Sexo”, o Comitê de Questões Jurídicas está propondo produzir orientações para acompanhar a lei da Igreja alterada.

Liturgia

Ele será preparado em consulta com o Faith Nurture Forum e o Theological Forum e emitido para os secretários do presbitério e postado online neste verão para auxiliar na operação prática das provisões da Lei revisada.

Se a abertura for realizada, o Faith Nurture Forum está propondo produzir uma liturgia sugerida para os celebrantes usarem para abençoar casamentos do mesmo sexo.

O Comitê de Questões Jurídicas está ciente de que a Lei de Ministros e Diáconos em Parcerias Civis e Casamentos entre Pessoas do Mesmo Sexo (Lei I de 2015) não foi considerada desde que foi alterada em 2016 para incorporar mudanças na lei civil.

Propõe, em consulta com o Faith Nurture Forum e o Theological Forum, realizar uma revisão da legislação dependendo do resultado da votação da abertura do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Deixe um comentário