A justiça russa condenou na terça-feira, 26 de abril, a gigante digital americana Meta (ex-Facebook) e a rede social TikTok a multas por não terem apagado publicações LGBT, anunciaram as agências de imprensa russas.

O tribunal de Moscou em Taganski condenou pela primeira vez a Meta, controladora das redes sociais Facebook e Instagram, a uma multa de quatro milhões de rublos (cerca de 50.200 euros na taxa atual) por não ter excluído conteúdo que fazia “propaganda” de conteúdo LGBT.

Em outra audiência, o tribunal de Moscou Mirovoi condenou a plataforma TikTok, subsidiária do grupo chinês ByteDance, a uma multa de dois milhões de rublos pelo mesmo motivo.

Grandes empresas digitais são multadas regularmente na Rússia, acusadas de não apagar conteúdos considerados perigosos para menores ou vinculados à oposição.

Essa pressão foi reforçada desde o início da operação militar russa na Ucrânia, que viu muitos sites independentes e da oposição banidos.

Em março, as autoridades russas também baniram o Facebook e o Instagram por “extremismo”.

A Rússia aprovou uma lei em 2013 contra a “propaganda” homossexual entre menores, que foi usada como pretexto para proibir marchas do orgulho e a exibição de bandeiras de arco-íris.

Deixe um comentário