Vietnã Tirou a Homossexualidade da lista de Doenças

crowd walking at the sidewalk

O Ministério da Saúde do Vietnã declarou, pela primeira vez, que ser homossexual, bissexual ou transgênero não deve ser considerado como doença. A decisão histórica foi vista como uma “enorme mudança de paradigma” nas atitudes do governo em relação à diversidade sexual.

O anúncio, enviado aos departamentos de saúde provinciais e municipais no início deste mês, orienta que os médicos não devem “interferir nem forçar o tratamento” em pacientes LGBTQIA+ e devem tratar esse grupo com o devido respeito, sem discriminação.

A campanha reconhece que a homossexualidade “não é totalmente uma doença”, por isso, “não pode ser ‘curada’ nem convertida de forma alguma”.

O avanço, ainda que tímido, foi visto como o início de uma revolução nas políticas vietnamitas.

“Embora as atitudes não mudem da noite para o dia, isso marca uma enorme mudança de paradigma”, disse Kyle Knight, pesquisador da Human Rights Watch, organização internacional não governamental que defende e realiza pesquisas sobre os direitos humanos. 

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, Knight estimou que, por ter sido emitido pelo Ministério da Saúde, a mais confiável de autoridade médica no Vietnã, o anúncio poderá gerar um grande impacto sobre as percepções da sociedade sobre a população LGBTQIA+.

“O mito de que a homossexualidade é diagnosticável tem permeado e permeado a sociedade vietnamita. É um fator subjacente à negligência médica contra jovens que se identificam com a sigla”, disse o pesquisador.

Em novembro, a campanha “Leave with Pride” do Instituto de Estudos da Sociedade, Economia e Meio Ambiente (iSEE) fez uma petição à Organização Mundial da Saúde (OMS) para afirmar que ser gay não é uma doença.

Fonte Veja

SAMAEl comunicação Digital

Samael cominucação digital, empresa responsavel pelo gerenciamento de empresas e midias sociais, todos os Direitos Reservados.

Learn More →

Deixe um comentário

whatsapp button